Portal de Conferências da UFSC, 9º Congresso UFSC de Controladoria e Finanças

Tamanho da fonte: 
Despesas Administrativas na Previdência Fechada Brasileira: Economias de Escala e Escopo sob a ótica do Ciclo de Vida de Modigliani
Rudolph Fabiano Alves Pedroza Teixeira, Adriano Rodrigues

Última alteração: 2020-04-09

Resumo


O presente trabalho investigou a existência de economias de escala e escopo nas Entidades Fechadas de Previdência Complementar (EFPC) brasileiras, durante o período 2010 – 2014, por intermédio da econometria de dados em painel. Como pano de fundo foi utilizada a Teoria do Ciclo de Vida de Modigliani (TCV), que explica o comportamento poupador dos indivíduos vinculados a essas entidades. Foram construídos três modelos com as duas principais variáveis explicativas destacadas pela literatura, ou seja, o total de participantes e o total de ativos. Os coeficientes encontrados foram positivos e significativos, confirmando que o aumento do número de participantes e do volume de ativos possui a capacidade de reduzir as despesas administrativas unitárias, já que essas passariam a ser rateadas por um número maior de pessoas e de ativos. Por sua vez, não foram encontrados indícios de que existam economias de escopo nas EFPC. De posse dos resultados pode-se concluir que se as EFPC brasileiras não utilizarem seu potencial para reduzir suas despesas administrativas via efeito escala, seus participantes poderão ter incentivos a buscar outras formas de poupança previdenciária.

Texto completo: PDF